Nem sempre é fácil perceber quando o consumo do álcool cruzou a linha de uso moderado e social para um uso nocivo ou sérios problemas de alcoolismo. Se uma pessoa passa a consumir álcool para lidar com as dificuldades ou para evitar sentir-se mal, esta encontra-se em território de potencial perigo e, sem perceber, pode passar a precisar de tratamento.

O alcoolismo ou abuso do álcool, ocorre devido a vários fatores interligados, incluindo: genética, a maneira com que o dependente foi criado, o seu meio social e sua saúde mental.

Pessoas que possuem um histórico familiar, ou estreita relação com outras quem consome bebida alcoólica em grande quantidade, estão mais propensas a desenvolver problemas de alcoolismo. Também aqueles que sofrem com ansiedade, depressão ou doença bipolar, estão particularmente em risco, pois o álcool pode ser usado como uma forma de automedicação.

A diferença entre uso frequente do álcool e alcoolismo é que o alcoólatra não tem mais a capacidade de definir seus limites para o consumo.

O alcoolismo envolve todos os sintomas de abuso de álcool, mas também envolve outro forte elemento: a dependência física alcoólica. Se a pessoa se torna dependente de álcool para “funcionar” ou se sente fisicamente obrigado a beber, é bem possível que ela tenha se tornado alcoólatra.

Tolerância significa que, ao longo do tempo, o indivíduo precisa de mais e mais álcool para sentir os mesmos efeitos. E a crescente tolerância ao álcool pode ser o primeiro grande sinal de alerta de alcoolismo, além de outros indícios:

· Beber muito mais do que antes para sentir-se relaxado, aliviando os efeitos da ansiedade e da agitação;

· Beber mais que as outras pessoas sem ficar bêbado;

· Beber mais vezes por semana;

· Beber para evitar os sintomas de abstinência, porque o corpo começa a “reclamar” a falta de álcool.

 

Reflita com atenção:

1) Você já pensou que deveria diminuir seu consumo de álcool?

2) Alguém já te criticou por causa da bebida?

3) Você já se sentiu mal ou culpado por beber?

4) Você já acordou e a primeira coisa que fez foi beber para se sentir bem?

Apenas UM SIM, sugere um possível problema.

A importante decisão de pedir ajuda

 

Reconhecer que precisa de ajuda para o problema com álcool talvez não seja fácil. Porém tenha em mente que, receber ajuda, é o caminho para uma recuperação bem-sucedida. Portanto, ofereça ou peça ajuda!

TOP